O Burro sob a sombra

Aqui vou eu para mais uma florzinha no jardim da nossa querida Terra.

Havia um jumentinho por nome Zé que fazia seu trabalho carregando a carga de uma carroça. Ele vivia assim tranquilo sabendo o que faria a cada dia de seu viver. Obedecia como sabia o seu patrão – que trazia a nossa personagem principal deste conto com rédeas curtas.

Um belo dia o Senhor deste quadrúpede foi cumprimentar o seu compadre e conversaram sob a sombra de uma árvore Sete Copas.

-“Sabe , Manuel, este meu burro é meio estranho. Mesmo quando trabalha duro durante o dia a puxar esta carroça , ao fim do serviço o amarro aqui nesta sombra . Mas, o coitado não fica quieto. Faz questão de deixar o rabo no sol.”

Manuel riu a beça porque o Burro Zé havia cumprido um ditado muito certo porque um animal na sombra com rabo no sol só podia significar que o burro intuía que tudo tem um fim e estava por temer a morte.

O dono do Burro Zé se assustou porque aquele bicho sabia mais que ele da vida.

Foi-se o Burro Zé para o além, assim também o amigo Manuel e seu Senhor.

E você, querido leitor?

Como anda seu dia? Gosta de sombra e água fresca? Ou está a se preparar para o além?

Helder Camara

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s